O BLOG DO SR SIAPE, possui mais de 400.000 assinantes, ASSINE, cadastrando–se, e receba notícias de interesse dos Servidores Federais | Política de Privacidade

Servidores Federais, o teto da Aposentadoria e a FUNPRESP

Aposentadoria Planejada

Se você é Servidor Público Federal e ingressou no Serviço Público a partir de 04 de Fevereiro de 2013, então estará sujeito à Lei 12.618, de 30 de abril de 2012. O governo, por meio da Portaria 44, de 31 de janeiro de 2013, publicada no Diário Oficial da União de 4 de fevereiro de 2013, limitou a aposentadoria ao teto do INSS (atualmente: R$ 4.663,75).

Desde então as regras mudaram.

Sem um planejamento no presente, a remuneração no futuro poderá desapontar. Para assegurar uma aposentadoria compatível com os rendimentos do servidor, o Poder Executivo Federal criou o ExecPrev, o Plano de Previdência Complementar administrado pela Funpresp, que também oferece proteção em caso de Invalidez ou Morte.

Após ficar parada durante anos no Congresso Nacional, a criação da Funpresp foi  aprovada em 2013 com o objetivo de atenuar o elevado défict do regime de Previdência dos Servidores Públicos, dando sustentabilidade ao sistema no longo prazo.

shutterstock_187223813 Conforme citado acima, com a medida, trabalhadores que ingressaram no Serviço Público a partir de 2013 passaram a ter a aposentadoria limitada ao teto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que atualmente é de R$ 4.663,75. Se quiserem receber um valor maior que o teto, esses Servidores têm que aderir à Funpresp. Mesmo com as mudanças implementadas, o déficit da Previdência dos Servidores Públicos Federais continuará alto e pressionando as contas públicas no curto prazo. Somente no primeiro trimestre, o resultado foi negativo em R$ 36,509 bilhões, avanço de 8,6% ante mesmo período de 2014, segundo Relatório Resumido da Execução Orçamentária, divulgado recentemente pelo Tesouro Nacional. A estimativa de déficit para o fim do ano é de R$ 65,720 bilhões. Em 2014 esse resultado negativo foi de R$ 63,256 bilhões.

A expectativa do Governo é de que esse déficit seja reduzido no longo prazo devido à criação da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (Funpresp), em 2013. “A Funpresp assegura a solvência do regime próprio da União”, afirmou o Diretor-Presidente da Fundação, Ricardo Pena. Até 2032, o Governo terá um custo adicional de transição e, depois disso, a tendência é de redução do déficit do regime próprio.

A adesão ao Plano é opcional e pode ser feita a qualquer momento, mas quanto antes ocorrer, mais cedo o Servidor Federal estará protegendo seu futuro. Além da Previdência Complementar, você ainda usufruirá de diversas vantagens, como a paridade do Órgão na contribuição, no caso do Participante Ativo Normal, ou seja, o Servidor que ingressou no Executivo após 04 de fevereiro de 2013. Isto significa que a cada real contribuído, a União também contribuirá com o mesmo valor. Portanto, caso a contribuição seja de R$500 o Patrocinador repassará mais R$500 para o seu Plano de Benefícios, totalizando a arrecadação em R$1.000 no mês.

A contribuição pode ser de 7,5%, 8% ou 8,5% sobre o salário de participação. Este valor é calculado sobre a diferença da remuneração subtraindo o valor do teto do INSS (R$4.663,75 até dezembro de 2014).

Como a Funpresp é uma instituição sem fins lucrativos, 100% da rentabilidade líquida é voltada para o participante. Outra vantagem é a dedução mensal das contribuições do Imposto de Renda até o limite de 12%. Além disso, o Fundo permite resgate e portabilidade das contribuições e gestão compartilhada nos Conselhos Deliberativo e Fiscal, para os quais os participantes elegem seus representantes.

 

A Fundação trabalha para atingir uma rentabilidade de IPCA + 4% ao ano. De 2013 a Junho deste ano, o retorno acumulado foi de 30%. Somente no primeiro semestre de 2015, essa remuneração foi de 8%.

No início de Julho/2015 a Funpresp realizou uma licitação e escolheu cinco bancos para gerir alto em torno de R$ 70 milhões dos R$ 170 milhões que a Fundação tem em carteira. Cada instituição selecionada – Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Western e Santander – recebeu cerca de R$ 14 milhões para administrar (8,75% dos recursos totais). O restante dos recursos, cuja gestão será feita pela própria Funpresp, está aplicado em Títulos Públicos.

As cinco instituições contratadas terão seus desempenhos avaliados periodicamente. O processo de licitação definiu que, a cada seis meses, O Fundo de Investimento que apresentar a melhor rentabilidade receberá maiores aportes de recursos e o que tiver pior rentabilidade não receberá novos recursos. No fim de um período  de avaliação de dois anos, a Instituição com menor rentabilidade será substituída pelo próximo colocado na licitação.

A Seguradora Mongeral Aegon Seguros e Previdência, escolhida por meio de licitação, é a responsável por oferecer cobertura de benefícios não programados (morte e invalidez), por meio de contratação opcional da Parcela Adicional de Risco (PAR). O participante do Funpresp paga R$ 50,00. No mercado, segundo Pena, esse custo pode chegar a R$ 180,00.

Fontes:  Valor Econômico / Funpresp

 

shutterstock_167248031

 

Publicidade. Conheça o novo site All Inclusive 11PONTO11
Publicidade. As taxas de consignado baixaram só aqui! Seu Crédito no Click
Publicidade. Ganhar benefícios por agendar seus seguros? Sim! Agende agora! Seu Seguro no Click

Oferta do Mês

Não espere mais para ter o sorriso bonito e saudável! Plano Amil Dental com documentação ortodôntica e preço especial para Servidores Federais e seus familiares! Possibilidade de reembolso integral. Ligue para 0800 780 1111 / 0800 607 1111 ou Fale agora no chat. Amil Dental

Arquivo

Show Buttons
Hide Buttons