Decisão do Presidente pode mudar a vida dos servidores públicos com reforma

4/593 votos

Decisão do Presidente pode mudar a vida dos servidores públicos com reforma

folder_openGeral

Reforma administrativa deverá passar pelas mãos do Presidente antes de seguir para o congresso.

Existe a expectativa de o governo anunciar ainda esta semana todos os pontos da reforma administrativa. Como muitos já sabem as novas regras são voltadas para servidores ativos e para futuros servidores.

Os novos servidores de acordo com a reforma vão ter novas regras para serem contratados. Mudanças nos salários iniciais, regras mais duras para promoções e uma maior flexibilidade para demissões, são os pontos chaves da reforma.

O governo brasileiro possui como segunda maior despesa do país os custos com pessoal, perdendo apenas para a previdência. Segundo estimativas do próprio governo só em 2019 vão ser gastos cerca de R$ 319 bilhões com salários do funcionalismo.

O texto deve tramitar pela Câmara dos deputados e no senado. Rodrigo Maia declarou que projetos semelhantes já foram analisados na CCJ. Maia ainda afirmou que a reforma administrativa pode ser incorporada a um destes projetos, pois desta forma a tramitação será mais rápida.

Confira os pontos apresentados até o momento sobre a reforma administrativa:

Leia também...

Salários menores com a reforma

Após relatório do Banco Mundial, o governo decidiu aproximar os salários dos novos servidores com os da iniciativa privada. Isto ocorrerá em cargos com funções semelhantes.

O estudo afirmou que os servidores federais brasileiros recebem quase o dobro dos trabalhadores da iniciativa privada. O estudo levou em conta os trabalhadores e servidores com as mesmas características.

O governo também pretende com a nova reforma, que os servidores cheguem ao teto salário somente no fim da carreira.

 

Menos estabilidade no governo

Como muitos já sabem o fim da estabilidade está na mira da reforma. A justificativa para isto é que a estabilidade gera uma grande dificuldade na demissão de servidores.

Hoje existem duas categorias de servidores: os com estabilidade e os comissionados que entram por indicação.

Entretanto, a equipe que gere a reforma quer ampliar para cinco tipos.

Aqueles que são comissionados as regras permanecem as mesmas.

Quem ingressar no governo após a reforma se enquadrará nos dois primeiros anos como trainee. A efetivação se dará por meio avalição de desempenho.

Aqueles que forem aprovados passam a se enquadrar em outras três categorias:

  • Sem estabilidade (sem necessidade de justa causa para demissão)
  • Com estabilidade (somente algumas carreiras vão ter essa vantagem)
  • Por tempo determinado (existirá um tempo máximo de permanência no cargo)

 

Número menor de carreiras no governo

São cerca de 3 mil cargos em uma divisão de 300 carreiras no serviço público. O governo afirmou que isto precisa ser mudado. Então, esses números vão ser reduzidos.

O Banco Mundial recomendou que profissionais experientes conseguissem entrar em cargos de alto nível por meio de concurso. A recomendação para reforma é com base no modelo do Reino Unido.

No modelo atual, o servidor inicia em um primeiro nível e com o tempo vai subindo de cargo. Com o novo modelo será possível que pessoas com experiência e ideias inovadoras, ingressem no funcionalismo.

A indicação de banco está sendo analisada pela equipe econômica responsável pela reforma.

Leia também...

Avaliação e desempenho

Alguns benefícios dos servidores poderão ser revistos com a reforma. O fim da progressão automática também esta previsto, juntamente com a revisão de licenças e gratificação dos servidores.

Atualmente existe um sistema de avaliação de desempenho. No entanto, de acordo com um documento do extinto ministério do planejamento, o mesmo encontra-se com muitas falhas.

A avaliação de desempenho deve ser reestruturada e considerada juntamente com outros critérios no momento de uma promoção.

Atualmente a constituição já prevê a demissão de servidores em casos de mau desempenho, mas isto ainda não foi regulamentado.

 

Para quem vai valer?

Segundo Paulo Uebel, servidores que já estão no governo possuem direito adquirido e não serão afetados. A reforma administrativa vai atingir aqueles que ingressarem no governo após a aprovação da mesma.

Uebel afirmou que após a finalização do texto o mesmo passará pelas mãos de Guedes e do presidente. Por fim, o texto seguirá para o congresso.

 

Receba as notícias antes dos demais Assinantes!

Clique para ativar as notificações e receba antes de serem publicadas

Receba as notícias antes dos demais Assinantes!

Clique para ativar as notificações e receba antes de serem publicadas

Essa matéria foi relevante? Vote !

4/593 votos

Publicações Relacionadas

Deixe seu Comentário

+ Q Bank

Tudo em Crédito, Seguros e Viagens & Turismo no mesmo lugar. Mais de 50 Opções especiais para Assinantes. Click e Surpreenda-se!

Menu




  • captcha

  • Chat ao vivo

    [chat_online][/chat_online]
  • Contratação Online

  • Sr.SIAPE apoia a luta contra o CÂNCER de MAMA.
  • Decisão do Presidente pode mudar a vida dos servidores públicos com reforma

    tempo leitura: 5 min