Projeto aprovado Relaciona Remuneração De Servidor A Resultado Fiscal

4.4/561 votos
folder_openServidores Públicos Federais

Projeto aprovado Relaciona Remuneração De Servidor A Resultado Fiscal

[sem_destaque]-200[/sem_destaque] Proposta aprovada pela CCJ prevê métodos para impedir aumento de gastos públicos quando houver deficit e permite bônus a servidor em caso de superavit.

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou nesta hoje um projeto que institui a responsabilidade compartilhada entre servidores públicos e governantes nos resultados fiscais dos governos. A proposta vem para conter o aumento dos gastos públicos quando houver deficits primários. Entretanto, em caso de superavit, os servidores da União poderão receber bônus de até 5% do resultado primário positivo de receitas e despesas do governo. O Projeto de Lei Complementar (PLP) 64/2019 segue para análise da Comissão de Assuntos Econômicos.

O principal responsável, senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), a proposta determina que, em caso de resultado negativo, os governos ficarão inibidos de aumentar suas despesas, o que inclui os gastos com funcionalismo público. No ano seguinte ao deficit, a União, o estado, o Distrito Federal ou o município não contará com vantagem, aumento, reajuste ou adequação de remuneração ou criar cargo, emprego ou função. Isso inclui não poder alterar a estrutura de carreira, admitir ou contratar pessoal ou fazer concurso público, entre outros atos que impliquem mais gastos.

Os governos ficam ainda proibidos de ceder qualquer benefício fiscal, inclusive ampliar política pública que resulte em concessão de subsídios. Em suma, a proposta replica as restrições previstas no Novo Regime Fiscal (que institui o teto de gastos públicos), aplicadas ao caso de geração de deficits primários.

O projeto recebeu voto favorável do relator na CCJ, senador Mecias de Jesus (PRB-RR).

Responsabilidade compartilhada

Dentro do conceito de responsabilidade compartilhada, o funcionalismo poderá ser receber prêmio, quando houver superavit primário, prevê o projeto. Para o autor do PLP 64/2019, medidas que já são seguidas pelo setor privado, como programas de distribuição de lucros e resultados, poderiam ser replicados no setor público.

“Entendemos que nenhum governante consegue administrar com eficiência sem a devida participação de toda a sua equipe encarregada pela gestão. São os servidores os responsáveis em última instância pela boa aplicação dos recursos públicos. Daí que surge a responsabilidade de todos, ou seja, compartilhada”, diz Oriovisto na justificação da proposta.

Orçamento

Por questões operacionais, a adoção das medidas tomará como referência o resultado acumulado anual, até junho. Dessa forma, será possível saber o Orçamento para o ano seguinte já incorporando possíveis limitações para ampliação de gastos, ou o bônus para o funcionalismo.

[vc_single_image source=”external_link” alignment=”center” css_animation=”bounceIn” custom_src=”/wp-content/themes/blogsiape/img/icon_notifications.jpg”]

Receba as notícias antes dos demais Assinantes!

Clique para ativar as notificações e receba antes de serem publicadas

Receba as notícias antes dos demais Assinantes!

Clique para ativar as notificações e receba antes de serem publicadas

Receba as notícias antes dos demais Assinantes!

Clique para ativar as notificações e receba antes de serem publicadas

Essa matéria foi relevante? Vote !

4.4/561 votos

Publicações Relacionadas

Geral

Saque do PASEP começa mês que vem

0

Segundo o calendário divulgado pelo Governo no Diário Oficial da União, os saques PASEP poderão ser feitos a partir do dia 16 de julho deste ano e seguem até 30 de junho de 2021

Deixe seu Comentário

Faça como mais de 100.000 Assinantes

Click em mim e tenha Acesso às Plataformas Digitais com Produtos Exclusivos para Servidores Federais

Menu